terça-feira, 7 de agosto de 2012

Pouquidade


Não sou mar nem sou céu
Nem a pedra da calçada
Triste e sozinha,
Amiga e confidente
Que te viu fugir.
Quantas vezes fomos dois?
Perfeitos e incompletos,
Cúmplices e tamanhos
Para um tempo pequeno e fugidio!
Sou sozinha!
De tanto que sou nada, sou tudo,
Na anulação da minha plenitude.
Sou sem ti, porque sou!  

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial