quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Ressentimento


Odeio-te tanto quanto odeio odiar-te!
Odeio-te porque não amas a vida,
Ou o que ela te deu, ainda que pareça tão pouco.
Odeio-te porque recusas a minha ajuda
E não me deixas amparar-te.
Odeio-te por cada marca de passado
Que massacra o teu presente.
Odeio-te mais porque te adivinho o futuro.
Odeio-te porque não posso estar no teu lugar
Para minimizar a tua dor.
Odeio-te porque nunca fiz nada para que não chegasses aqui
Odeio-te porque te pertenço
E não consigo para de me odiar! 

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial